Diary of a dream | Diario de um sonho

Random texts from 1999 | Textos aleatorios de 1999

 “Oh, como desejava esquecer tudo isto. Só alguém com o coração de pedra, ou alguém com muita sorte que tivesse memória de galinha e nem se lembrasse do próprio nome conseguiria esquecer. Por vezes, até gostava de ser assim, para esquecer estas más lembranças, as más imagens… o problema seria ter de esquecer da minha família, da minha infância e dos meus verdadeiros amigos.
O bom seria se nos pudéssemos esquecer apenas das coisas más.
Acho que talvez não. Pois são as más recordações e as más experiências que nos fazem amadurecer e seguir e frente e tentar viver cada dia como se fosse o último.
Mas, mesmo sabendo isso não deixa de ser duro lembrarmo-nos de tudo isso.
São as más recordações que fazem surgir os sonhos, porque queremos uma vida melhor. Os sonhos fazem e comandam a vida. No fim de contas, as más recordações fazem parte da nossa vida tal como as boas. E ás vezes as boas são as coisas mais simples da vida como um abraço, um beijo, uma prenda, um jantar á luz das velas, um sorriso…
O simples é bonito. O complicado é triste e feio.
É como um poema. É tão simples e é isso que o torna bonito. Um pesadelo é confuso e ninguém gosta deles.”

“Toda a gente sonha e são esses sonhos que nos mantêm vivos. São esses sonhos que nos mantêm acordados. Vivemos toda a nossa vida seguindo um sonho, por mais idiota que pareça, porque desejamos que a nossa vida seja o mais parecida possível com esse sonho.
Mas a maioria dos meus sonhos são impossíveis. Pelo menos 90% deles são. Talvez seja porque eu gosto de me afastar da dura e cruel realidade. Eu nos sonhos tenho o meu próprio mundo. Nesses sonhos o mundo é como que gostaria que ele fosse. Nesses sonhos eu sou feliz. É tudo tão mágico.
A paisagem é sempre mais bonita, as pessoas são mais felizes, é um mundo utópico.
Mas na realidade as pessoas são infelizes quando não conseguem tornar esses sonhos realidade. Mas não é por isso que deixam de o tentar ou que deixam de sonhar, pois é nesses casos que se sonha com mais força, com mais intensidade.
O que escrevo eu… O coração fala através da caneta e eu limito-me a escrever o que ele diz…”

Música… oh doce música porque não me ajudas em vez de me entristeceres?
Palavras… que já não sei pronunciar, que já não sei ouvir
Memórias… que não me saem da cabeça
Sons… que me enfeitiçam, que me embalam
Cartas… que já não consigo escrever
Sonhos… que passam pela minha cabeça
Sentimentos… que não consigo compreender
Gestos… que não consigo esquecer
Tu… és alguém que me faz sentir assim mas que não me sais da cabeça
Vida… que já não é nada sem ti
Nada… não, eu já não entendo mais nada
Coração… fraco e magoado
Eu… ser incompreensível, que vive para ti e para te amar…

(Photo from the original uploader)

Advertisements

2 thoughts on “Diary of a dream | Diario de um sonho

  1. tive de facto uma adolescencia um bocado perturbada :PFaz parte acho eu. E dificil ser-se adolescente, ter tanto sentimento la dentro e nao saber como os controlar

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s